quarta-feira, 9 de janeiro de 2008

Esperança

Em análoga esperança eterna, triste dança poética. Talvez o mundo rode em óperas sinfônicas do bom balanço. Em passos tristes pela vida monótona que componho, sentado, em praça pública. Queria, talvez, o sossego dos querubins que deveras voam em bandos nos céus azuis

1 Comment:

suelen said...

parece um dia tranquilo no paque. gostei dos querubins