quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Ao piano

Em um passo quaternário, ao som do piano, danço. Danço ao ponto dos pés ruirem e jogar-me no chão. Assim fico, por um tempo determinado, e levanto, voltando ao ponto em que fui ruído. Pós-posto0me ao piano e escuto o tambor dos dedos nas teclas. Continuo até mais uma ruína, tal ruína em seus braços e assim fico; ruído em seus braços.

1 Comment:

suelen said...

seus textos sobre dança nunca são inocentes... sempre tem segundas intenções...